*

Honduras caminha em direção a novos espaços inclusivos

Discapacidad en Honduras
Uma coisa simples como ir a uma aula pode ser uma odisseia para muitos. A nova iniciativa das Honduras para eliminar estas barreiras e criar espaços inclusivos nas salas de aula da Universidade, um incentivo para que os países vizinhos coloquem as “barbas de molho”.

Professores e alunos de Educação especial da  Universidad Pedagógica Nacional Francisco Morazán (UPNFM)  realizaram a jornada “Caminhando para espaços de aula inclusivos”, para promover uma cultura de tolerância e respeito aos alunos com deficiência.

Honduras partilhou esta experiência com a sua vizinha Costa Rica, com o objetivo de aprender novas formas de cuidar das pessoas com deficiência na sala de aula.

Durante o encontro foram abordadas questões como estratégias inclusivas para pessoas com deficiência em sala de aula da Universidade, adaptações curriculares, os deveres e direitos das pessoas com deficiência. Outro objetivo da conferência foi facilitar espaços de reflexão, capacitação e trabalho em equipa com professores da UPNFM que desenvolvem habilidades e conhecimentos pedagógicos.

UPNFM trabalha num Projeto de Atenção à Diversidade (PAD) de equiparar o acesso, a retenção e a promoção de oportunidades de ensino superior de projeto. Uma ação essencial e necessária no país.

A Universidad Pedagógica Nacional Francisco Morazán conta esta semana com os nossos parabéns. Espero que a iniciativa seja a primeira de muitas e continuem a trazer a Universidade para tod@s os que querem e precisam.

Mais informações AQUI.

Ana_Avatar

 Ana

 

 

VIII Feira de Trabalho para pessoas com deficiência em Madrid

257791_8906

9:00h

Ainda faltava uma hora para o início da feira, mas naquela sala respirava-se ilusão, movimento e muita vontade.

Faltava um quarto de hora já estava tudo preparado. Dei uma volta para ver os outros stands e fiquei feliz de ver novas empresas envolvidas nestas matérias. Também sorri ao ver empresas já veteranas que continuam com a sua tarefa.

Tic-Tac, tic…

10:00h

À hora certa começaram a entrar pessoas. Encheu em poucos segundos. Altos, bonitos, feios, magros, mais velhos, crianças, gordos inundaram o pavilhão 2 do Ifema de Madrid. Pessoas aparentemente diferentes, mas com uma aparência comum. A dor. Pessoas que sofrem por algo, mas que continuam com uma réstea de esperança nos olhos.

Em muito pouco tempo, o perfume fresco da ilusão tornou-se num cheiro de ansiedade, angústia e necessidade. Tornou-se desilusão de ver a pouca participação dos estudantes universitários, de filhos que decidem deixar a sua formação para um trabalho como um armazém, ou mais velhos, sem trabalho, mas com uma família para alimentar…

13:30h

A manhã passou a voar, e já faltava pouco para ter de ir embora.

Atraída por uma fila que se formava, acabei por me aproximar de um dos principais locais do encontro. Aquele canto vermelho pertencia à Fundación Universiaum lugar cheio de pessoas que precisavam de ajuda. Tinha sete pessoas a trabalhar intensamente: fizeram entrevistas, recolheram currículos e ainda orientavam empresas e pessoas com deficiência.

Apesar de não terem parado o dia inteiro, havia muitas pessoas para muito poucas empresas e empregos. Um desafio ambicioso e difícil de atingir, tendo sido necessário muito mais ajuda…

14:00h

Saí do recinto e um universo ficcional que é completamente diferente para a propagação anterior diante dos meus olhos. Um mundo feito de plástico e de aparências, onde é mais importante a capa do que o livro. Um sítio em que não há espaço para o ser humano. Um mundo artificial de máquinas. E perante tudo isto apenas uma pergunta, sós seremos capazes?

Existem muitas empresas, pessoas e governos que praticam todos os dias, e apesar de estarmos muito avançados nessa área é ainda um longo caminho a percorrer.

Tic-tac, tic…

Ana_Avatar

 Ana

 

 

Primeira conferência inter-universitária sobre deficiência na Costa Rica

Costa Rica y discapacidad

O país-paraíso a cada dia está mais perto de o ser graças a iniciativas como a Faculdade de Ciências Sociais da Universidad de Costa Rica. A conferência realizou-se nos passados dia 9 e 10 de outubro no auditório da universidade e contou com a presença de vários representantes de universidades públicas.

Com o objetivo de analisar o papel das universidades no domínio da deficiência, educação inclusiva e orientação, realizaram-se  uma série de mesas-redondas e exposições abertas.

Alguns dos tópicos discutidos nestas conversas e debates foram: pesquisa e ação social na deficiência, serviços especializados para alunos com deficiência, atenção aos alunos com deficiência no ensino superior e bibliotecas acessíveis a todos, entre outros.

E para as compatriotas que não tinham a opção de viajar para San Jose, uma reunião patriótica (que ainda está por vir) é o II Congresso Internacional de Universidade e Incapacidade que terá lugar nos próximos dias 27 e 28 de novembro em Madrid (Espanha). Uma reunião onde o debate, ideias e estratégias de tod@s terá uma importância especial.

Finalmente, uma pequena reflexão: parece que a maioria dos Estados Ibero-americanos vão avançar para a inclusão e para a igualdade de oportunidades no campo da deficiência. Costa Rica junta-se a muitos outros países latinos a preparar iniciativas sobre o assunto. Viva!

Ana_Avatar

Ana