*

UAlg cria Gabinete de Apoio ao Estudante com Necessidades Educativas Especiais

universidaddoalgarve

O Gabinete de Apoio ao Estudante com Necessidades Educativas Especiais (GAENEE) da Universidade do Algarve realizou dia 25 de fevereiro, às 14h00, no Auditório 1.5 do Complexo Pedagógico do Campus da Penha, um seminário sobre a “Inclusão de Estudantes com NEE no Ensino Superior – Construindo e testemunhando histórias de sucesso!”.

Este seminário pretendeu, essencialmente, dar a conhecer quais os objetivos e a metodologia do GAENEE e sensibilizar a comunidade para a inclusão educativa de estudantes com NEE no Ensino Superior.

Durante a sessão foi possível assistir a diversas comunicações sobre o tema em destaque, proferidas por docentes de algumas unidades orgânicas da UAlg, psicólogos e convidados provenientes de outras instituições. Também houve um espaço dedicado aos “Testemunhos na 1ª voz”, onde foram apresentadas algumas histórias de inclusão de estudantes com NEE na UAlg.

Débora Silva, aluna com dificuldades de mobilidade do curso de licenciatura em Ciências da Educação e da Formação, afirma que a criação do GAENEE foi bastante produtiva para a Universidade. “É um projeto recente, no entanto pode dar frutos a longo prazo.” A aluna refere, ainda, a título de exemplo, que no campus de Gambelas já foram feitas algumas alterações no acesso às salas e se “antes era impossível entrarmos sozinhos, agora já conseguimos.” De um modo geral, Débora Silva acredita que a criação deste gabinete é “uma boa iniciativa para que os alunos que futuramente entrem na UAlg, e que tenham NEE, possam ter mais algum tipo de apoio.”

Recorde-se que a UAlg, de acordo com os princípios de uma Escola Inclusiva, implementou um conjunto de condições específicas assentes no reconhecimento do direito à diferença, sem abdicar dos parâmetros normais de exigência e qualidade do processo de ensino e aprendizagem, pretendendo que todos os estudantes tenham uma educação igual e de qualidade, que tenham acesso a uma educação que respeite as suas necessidades e características, facilitando-lhes a transição para a vida ativa, para que sejam incluídos na sociedade, a que por direito pertencem, com a maior autonomia e independência.

Universidad Nacional de Salta aposta na inclusão de alunos com deficiência. Argentina

universidad, discapacidad, argentina, UNSA
O Comitê para a integração das pessoas com deficiência (CIPED) da Universidad Nacional de Salta (UNSA)

trabalha há vários anos em iniciativas inclusivas para garantir que esta instituição é acessível a tod@s.

A Comissão conta vários representantes de diferentes áreas de académicos e administrativas. “Formamos uma comissão Interuniversitária de deficiência e direitos humanos,” explicou a coordenadora María Cecilia Gramajo. “Abordamos a temática da deficiência na ótica dos direitos humanos. O acesso à educação é um direito inalienável”.

As tarefas que o CIPED aborda procuram trazer igualdade de oportunidades de acesso à Universidade sob três linhas fundamentais de trabalho: a acessibilidade ao espaço físico, a dimensão comunicacional e a académica. Além disso, promovem a inclusão das pessoas com deficiência na vida universitária. Sejam estudantes, professores, pessoal de apoio à Universidade ou licenciados.

Mas suas atividades não se ficam por ali. Também procuram estabelecer ligações com outras instituições para desenvolver ações conjuntas ou recomendar o desenvolvimento de projetos universitários de ensino e investigação sobre deficiência. Algumas das suas iniciativas estão ligadas ao transporte urbano, convénios com instituições médicas ou assistência médica, entre outros.

Sucessos alcançados

Na Universidad Nacional de Salta já se concretizaram projetos com vista a eliminar barreiras arquitetónicas através da instalação de elevadores, passagens ou rampas de acesso. Também foram criadas casas de banho adaptadas para pessoas com deficiência e foi criado um estacionamento exclusivo.

“Temos reforçado o conceito de Universidade inclusiva, de forma a estar acessível a todas as pessoas com deficiência que queiram entrar, independentemente do tipo de deficiência que possuam,” confessou Eudora Ignes, membro da Comissão. “Temos trabalhado em conjunto com a Secretaria Académica para formar tutores, para estarem presentes na comissão da admissão de alunos, para que saibam que podem ter livros digitalizado ou que podem estar acompanhados caso tenham dificuldades em aceder ao professor”.  O objectivo de todas estas medidas é aumentar o número de alunos com deficiência na Universidade.

Se pretende obter mais informações, por favor clique AQUI.

Ibero-américa aposta na inclusão de alunos com deficiência

discapacidad_iberoamercia

Esta semana decidimos fazer um cocktail com a nossa entrada combinando vários países ibero-americanos com uma pitada  de  (mais ou menos), do costume: deficiência nas universidades. O ingrediente estrela deste novo post são as áreas de atenção à deficiência nas facultades Ibero-americanas. Quer saber mais?

Para começar, a  Pontificia Universidad Católica de Perú aposta no acesso a infraestrutura e serviços em todas as suas bibliotecas, um sistema que oferece aconselhamento personalizado. Além disso, as pessoas com deficiência que necessitem podem receber os seus materiais de leitura na receção da Biblioteca Central.

A Universidad Nacional de la Asunción de Paraguay fornece conselhos, informações e orientações para a inclusão das pessoas com deficiência visual, auditiva e física nas diferentes unidades académicas. No entanto, na Pontificia Universidad Católica do Chile os serviços dividem-se em duas áreas: uma para alunos e outra para docentes.portada_guia_atencion_discapacidad_universidad_2014

Em relação a estudos sobre o tema, a Universidad Tecnológica de Panamá recolhe no seu site uma lista de investigações sobre ideias e processos que se estejam a desenvolver nas diferentes faculdades e centros de investigação. Na mesma linha visita a Universidad de San Carlos de Guatemala. A faculdade realizou um estudo sobre a prevalência de pessoas com deficiência no seu centro.

A política de educação inclusiva na la Universidad de El Salvador aposta na acessibilidade dos alunos através da oferta de bolsas de estudo, ou fornecimento de material escolar ou na incorporação de pessoal administrativo com deficiência, entre outros. No Equador, o Instituto Ecuatoriano de Crédito Educativo y Becas também oferece ajuda para facilitar o acesso à universidade dos estudantes universitários com deficiência.

Todos estes objetivos são tão diversos como as suas universidades, no entanto, todos eles têm um objetivo comum: a inclusão de alunos com deficiência na Universidade. A Fundación Universia realizado anualmente a Guia de atenção à deficiência na Universidade,  recolhendo dados sobre o número de alunos com deficiência matriculados, os serviços/medidas de ação positiva que oferecem, ou o contato de todas as áreas de deficiência das diversas universidades espanholas. Existe alguma maneira melhor para reunir todos estes dados?

Por esta razão lanço esta pergunta: gostaria que a @FUniversia fizesse um Guia de atenção à deficiência nas universidades ibero-americanas para 2016?

 

 

Gizmo 

Universidad Autónoma de Tamaulipas aposta na inclusão de alunos com deficiência. México

universidad de tamaulipas

A Universidad Autónoma de Tamaulipas (UAT ) é uma instituição inclusiva e de portas abertas que recebe e apoia os alunos com deficiência, através de bolsas de estudo e recursos tecnológicos para que os alunos se prepararem e concluam com êxito a sua formação.

Atualmente, o centro apoia mais de 60 alunos beneficiados com bolsas que cobrem as despesas totais dos seus estudos. Além disso, o centro organiza todos os semestres uma reunião para que conheçam os regulamentos, benefícios e etapas que podem ser feitas através do CODIS-UAT. Outra das atividades desta área é difundir a total abertura da Universidade para receber e apoiar os jovens com deficiência.

Um dos objetivos da universidade é que o processo de ensino aprendizagem dos alunos com deficiência, seja igual ao dos restantes alunos. Para fazer isso, eles têm um sério apoio tecnológico. “Existem calculadoras com voz e gravadoras. Trata-se de aproximar a tecnologia e infraestruturas necessárias para o desenvolvimento”, disse Martha Ruth Reyes da Coordenação de Atenção a Pessoas com Deficiência (CODIS-UAT).

Além disso, o centro estabeleceu convénios com o Ministério do Trabalho e Previdência Social (STPyS) para reforçar a inclusão do trabalho. Isto facilita que os alunos com deficiência do centro tenham um maior acesso ao emprego, de acordo com o seu perfil profissional

Todo o mundo ganha com a contratação de pessoas com deficiência. Portugal

tienda_discapacidad

Na semana passada dirigi-me  a uma grande superfície de venda e exposição de móveis e decoração à procura de materiais para o nosso projeto Jumping Talent 2015, organizado pelo Universia Portugal.  Como eram cerca das 10 da manhã de uma quarta-feira, a loja estava praticamente vazia mas, no meio daquelas filas de prateleiras de infindáveis corredores vi alguns jovens com trissomia 21 a organizar estantes e a transportar caixas de um lado para outro, seguindo as instruções de um supervisor. Chamou-me a atenção a alegria, disponibilidade e vontade que estes jovens transmitiam.  Que iniciativa excelente esta da integração de pessoas com deficiência, a verdade é que voltei para o escritório com um sorriso na cara e a pensar que nos queixamos tanto por tão pouco…

Ainda bem que há pessoas que fazem com que isto seja possível!!!

   

     María

México “coloca-se” na pele de pessoas com deficiência

mexico_se_pone_en_los_zapatos

Universidade, deficiência e acessibilidade são as três chaves da campanha mexicana “fantasma” – “A acessibilidade é para todos”. Uma iniciativa que surge no âmbito das universidades locais para sensibilizar a população que o mais importante é a empatia para com as pessoas com deficiência.

Quando me saltou o alerta no correio confesso que fiquei bastante iludida no princípio, e com raiva no final. Pareceu-me uma iniciativa muito bonita mas que não teve quase impacto nenhum (online) e da qual não foi possível obter quase dados nenhuns (não sei se por falta de intervenção dos meios ou dos centros de interesse).

Para quem não sabe qual é o panorama de quem vive diariamente com deficiência na cidade de Juarez, atualmente xistem cerca de 48 mil pessoas com deficiência nesta cidade. Sem dúvida que a deficiência é um tema que nos afeta a todos (diretamente ou indiretamente).

Algumas das entidades que colaboraram nesta iniciativa que começou no passado dia 27 de janeiro foram a Universidad Autónoma de Ciudad Juárez, o Instituto Chihuahuense de la Juventud, a Universidad Tecnológica Ciudad de Juarez, a organização “põe-te nos seus sapatos, não no seu lugar”, a Fundación Carità A. C.o Instituto Tecnológico de Ciudad Juárez e o apoio do governo do estado.

PS: Se alguém encontrar informações adicionais às que encontrámos que nos escreva, sem nenhum problema (talvez com esses novos dados saia um novo post).

 

Ana_Avatar

 Ana

 

A Universidad Autónoma de Tamaulipas oferece recursos para alunos com deficiência. México

uat_discapaciad

A Universidad Autónoma de Tamaulipas (UAT) deu mais de 60 materiais acessíveis a alunos com deficiência.

Alguns dos produtos de apoio que foram entregues no evento foram calculadoras falantes, gravadores e outros recursos com a tecnologia e infra-estrutura necessária para o desenvolvimento académico dos alunos com deficiência.

O encontro teve lugar nas instalações da Unidad Académica de Trabajo Social y Ciencias para el Desarrollo Humano (UATSCDH) e alguns dos participantes foram a diretora de Valores UAT, Irmã Esperanza Ibarra Flores; o diretor do centro de Tecnologia Educacional do Ministério da educação em Tamaulipas (SET), Juan Carlos Vázquez González e o responsável pela coordenação de cuidados para as pessoas com deficiência (CODIS-UAT) Martha Ruth Reyes Walle, entre outros.