*

Indra e UTEL assinam acordo para beneficiar pessoas com deficiência no México

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
A Indra e a Universidad Tecnológica Latinoamericana en Línea (UTEL) da Cidade do México assinaram um acordo de colaboração para facilitar o acesso às ferramentas tecnológicas para pessoas com deficiência.

A empresa vai facilitar o acesso às ferramentas Headmouse e Virtualkeyboard para permitir descarrega-las gratuitamente através de um link na página web da Universidade.

Ambas as ferramentas, permitem que pessoas com mobilidade reduzida controlem o rato e o teclado de um computador através de uma webcam e dos movimentos da cara e da cabeça. O funcionamento do dispositivo baseia-se no uso de uma câmara de baixo custo para captar o movimento da cabeça do utilizador à frente do ecrã.

Tanto a HeadMouse, como a Virtualkeyboard, foram desenvolvidas no âmbito da Cátedra Indra-Fundação Adecco com a Universidad de Lleida, em Espanha para a investigação de tecnologias acessíveis como parte da estratégia de responsabilidade corporativa da empresa. As tecnologias acessíveis visam desenvolver soluções e serviços inovadores que facilitem o acesso à tecnologia e à integração social e profissional das pessoas com deficiência.

Por outro lado, a UTEL no esforço para promover o desenvolvimento ideal de todos os seus alunos, encaminha os seus serviços com uma visão inclusiva, na qual os alunos com deficiência podem explorar os seus talentos e contar com uma igualdade de oportunidades que os ajude a integrar a sociedade e o mundo do trabalho com sucesso.

“Gracias a esta alianza con Indra, nuestros alumnos con discapacidad podrán explotar de una mejor forma sus talentos”

“Graças a esta aliança com  a Indra, os nossos alunos com deficiência podem explorar melhor os seus talentos”

No âmbito da assinatura do presente acordo, Hernán Moyano, vice-reitor institucional da UTEL, comentou: “a missão da Universidade é melhorar a vida das pessoas através da educação, e parte dela é proporcionar-lhes as ferramentas necessárias para impulsionar o desenvolvimento pessoal e profissional”. “Graças a esta aliança com a Indra, os nossos alunos com deficiência podem explorar melhor os seus talentos. Queremos atender a essa demanda educativa, gerando conhecimento para cenários de inclusão mediados com tecnologia, “acrescentou.

No âmbito de um modelo de inovação aberta, a Indra colabora com mais de 250 instituições de conhecimento através de acordos com mais de 180 universidades e centros de investigação, 68 deles a nível internacional, e conta atualmente com 25 Cátedras Universitárias, três deles fora de Espanha, mais concretamente no México, Argentina e Brasil.

A tecnologia é eficaz e útil para a sociedade na medida em que pode ser facilmente utilizada por todos. A Indra e a Universidade UTEL querem contribuir para atingir este objetivo, fomentando a investigação e o desenvolvimento de projetos com uma finalidade social: tornar a tecnologia acessível a todos.

‘UISMaps’: uma aplicação criada por estudantes para se situar na Universidad Industrial de Santander, na Colômbia

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Alguns alunos de engenharia de sistemas da Universidad Industrial de Santander (UIS), Marcelo Reyes Correa e Jefrey Alejandro Sanabria, são os criadores do ‘UISMaps’, uma aplicação que situa o utilizador no interior do campus da Universidade.

A aplicação é intuitiva e tem um mapa interativo do campus com as funções dos sistemas de informação geográfica.

“Estamos muito satisfeitos com o desenvolvimento deste projeto, é muito gratificante usar os nossos conhecimentos para ajudar as pessoas com deficiência. Este é um pequeno passo para todos começarmos a pensar em soluções que envolvem este grupo em nossa Universidade”, comentaram os estudantes.

Para ver o conteúdo original clique AQUI.

Senadis financia projectos inclusivos no Chile

chilee
O Serviço Nacional de Deficiência (Senadis), através do Fundo Nacional dos Projectos Inclusivos 2015 (Fonapi), pretende financiar projetos que promovam os direitos das pessoas com deficiência, apoiem a sua autonomia e independência e melhorem a sua qualidade de vida.

O Senadis vai destinar 1,13 milhões de pesos para o financiamento de projetos inclusivos nas áreas de acesso à justiça, cultura, desporto, inclusão laboral, promoção de direitos e comunicações, saúde, emergências e desastres naturais e tecnologias para a inclusão. Registo terá lugar de 15 de junho de sexta-feira, 26 de junho de 2015 através DESTA página web.

“Queremos apoiar iniciativas que contribuam para a inclusão social das pessoas com deficiência no nosso país,” disse o diretor nacional de Senadis, Mauro Tamayo.

Por outro lado, o Fonapi vai incorporar uma subárea de emergências e desastres naturais e a linha dos direitos sexuais e reprodutivos das pessoas com deficiência, dentro da área de saúde. Esta instituição está à disposição de entidades públicas ou privadas, sem fins lucrativos, cuja validade jurídica superior a um ano.

Um novo acordo entre Senadis e a UTAL vai beneficiar 200 pessoas com deficiência auditiva no Chile

chile_sordos
O Serviço Nacional de Deficiência (Senadis) e a Universidad de Talca (UTAL), fizeram um novo acordo que vai beneficiar os 200 alunos da região do Maule com elevada deficiência auditiva e com grande dependência.

O projeto visa contribuir para a inclusão das pessoas com deficiência com elevada dependência. Estas pessoas receberão cuidados domiciliários, dada a dificuldade de transporte para os diversos centros de cuidados de saúde.

A iniciativa consiste na compra de três audiómetros portáteis e de equipas que irão enumerar as alterações de audição nos examinados. Isto permitirá aos profissionais avaliar e cuidar de pessoas pertencentes a Linares, Vichuquén, Curepto e Licantén, localidades pertencentes à região do Maule, no Chile. Nesta região 7,3% das pessoas tem algum tipo de deficiência auditiva, superando a média nacional, que é de 6,5%.

“Este convenio beneficiará a personas, que por su condición de pobreza, tienen inconvenientes para llegar hasta donde están los servicios”, Gricelda Gómez.

“Este acordo irá beneficiar as pessoas que pela sua condição de pobreza, têm dificuldade para chegar até onde estes serviços se encontram”, Gricelda Gómez.

A iniciativa será financiada através do programa Reforço da Rede de Reabilitação do Senadis que conseguiu um investimento de 11,8 milhões de dólares.

“Este acordo irá beneficiar pessoas que, pela sua condição de pobreza, ruralidade ou problemas de deslocação de áreas remotas da região para as cidades maiores, têm inconvenientes para chegar até onde estão os serviços públicos,” assegurou a diretora do Senadis, Gricelda Gómez.

À cerimónia assistiram a subsecretária de Avaliação Social do Ministério do Desenvolvimento Social, Heidi Berner; o diretor do seremi na região do Maule, José Ramón Letelier; a diretora do Senadis, Gricelda Gómez; o diretor da FOSIS no Maule, Gonzalo Uribe e o diretor da Escola de Fonoaudiologia da UTAL, Exequiel Plaza, entre outros.

Entrevista a Martha Ruth Reyes Walle, responsável pelo serviço de Atenção a Pessoas com Deficiência da UAT. No México (CODIS-UAT) da Universidade Autónoma de Tamaulipas (UAT) do México

Esta semana entrevistamos Martha Ruth Reyes Walle, responsável pela Coordenação de Atenção a Pessoas com Deficiência (CODIS-UAT) da Universidad Autónoma de Tamaulipas (UAT) do México.codis_uat2

A Universidad Autónoma de Tamaulipas é uma das universidades Ibero-americanas que mais progride para a inclusão de alunos com deficiência. Algumas iniciativas que promoveram durante este curso (2014 / 2015) inclui a  entrega de recursos acessíveis ou a promoção de diferentes programas como o II Fórum Internacional sobre a deficiência no ensino superior. Portanto, nesta entrevista vamos tentar conhecer as medidas, projetos e propósitos que a CODIS-UAT  desenvolve em matéria de deficiência.

Fundación Universia: Boa tarde Martha, antes de começar queríamos agradecer-lhe por responder às nossas perguntas e dar-lhe os parabéns por todo o trabalho feito nesta área. Queremos saber tudo sobre as medidas e projetos do CODIS-UAT. Como é que este departamento surgiu?

Martha Ruth Reyes Walle: A Coordenação de Cuidados para Pessoas com Deficiência na UAT (CODISUAT) é uma proposta que apresentei perante a necessidade de inclusão e o compromisso de responsabilidade social que cada universidade deve ter para com a sua comunidade.

FU: Quantos universitários com deficiências estão registados na UAT?

MRRW: Atualmente temos na UAT 64 alunos com deficiência.

FU: Quais são as medidas inclusivas que estão a levar a cabo?

MRRW: A CODIS-UAT oferece os seguintes serviços:

  • Gestão de Bolsas a 100% para alunos com deficiência.
  • Orientação sobre a infraestrutura da UAT.
  • Orientação vocacional.
  • Workshops de sensibilização e conferências.
  • Orientação para professores.
  • Tecnologia adaptada para melhorar o processo ensino-aprendizagem.

FU: Sabemos que a partir do CODIS-UAT se fomenta a inclusão educativa das pessoas com deficiência. Também se ajuda na inserção no mercado de trabalho?

MRRW: Estamos em vias de oferecer esse apoio através da Rede Nacional de Vinculação Laboral do Ministério do trabalho e segurança social, uma instituição do Governo Federal.

FU: Quais são vossos planos futuros? Que coisas querem ainda melhorar?

MRRW: Agora estamos a trabalhar nos cursos de linguagem gestual mexicana, na verdade, existem algumas pessoas a fazer um curso básico. Além disso, o nosso objetivo para um futuro próximo é ter intérpretes que apoiem os alunos surdos na sala de aula. Também estamos à procura de patrocínios para uma impressora de braile.

Mas apesar de todo o trabalho realizado, ainda nos falta muito por melhorar. Sobretudo relacionado com a acessibilidade à infraestrutura física, às comunicações e ao transporte.

FU: Por último, gostaríamos que nos deixasse alguma frase ou mensagem de apoio para todos os alunos com deficiência, para as suas famílias e para o resto das universidades Ibero-americanas, que tal como a UAT lutam pelo avançar da acessibilidade e da inclusão.

MRRW: A minha frase favorita é: “para exigir direitos devemos cumprir obrigações”. Todos podemos, não se trata apenas de pedir.

A mensagem para os alunos e para as suas famílias, seria a seguinte: “Para um verdadeiro empoderamento devemos assimilar que o ter que fazer que dobro ou triplo do esforço, nos vai permitir desenvolver outras habilidades, e conseguir uma resiliência que nos vai impulsionar a alcançar os nossos objetivos e a obter vitórias acima da nossa deficiência”.

Obrigada, Martha, desejamos-lhe muito sucesso!