*

Notícias

Estudantes da UNAM desenvolvem tecnologias para pessoas com deficiência

alt="tecnología"

Um grupo de estudantes da Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM) estão desenvolvendo tecnologias para facilitar a mobilidade e exercício terapias para pessoas com deficiência e os maiores. Ao mesmo tempo, outras jovems, também de especialização em Design Industrial na UNAM propor implementar protocolos para avaliar a acessibilidade aos espaços públicos e áreas de pesquisa de design voltadas para os adultos maiores.

Os criadores são Wendy Cruz Fabian, Anabel Martínez Delgado, Patricia Arredondo Landeta Gonzalez e Ana Betancourt. Reconhecendo as dificuldades de familiares ou cuidadores de pessoas com deficiência motora para transferir, Wendy Cruz Fabian decidiu desenvolver uma unidade ergonômica e leve unidade, além de ser barato.

O estudante disse que o projeto de seu mestre veio do classe de Desing inclusive quando o professor lhes mostrou um vídeo em que um sénior transferiu-se para seu neto com paralisia cerebral, sem o auxílio de uma cadeira de rodas ou algum outro dispositivo mecânico. De acordo com Cruz Fabian, os modelos assistenciais no mercado são volumosos, muito pesado e muitos não podem ser usados no transporte público; também ele são caros e, portanto, inacessíveis para os setores de baixa renda.

“Eu estou no processo de desenvolvimento e análise de materiais mais leves, mais fortes e mais baratas que podem incorporar a equipe. Tenho a intenção de ser acessível para a maioria da população, especialmente para setores de baixa renda “, disse Fabian Cruz. Por sua parte, a estudante universitária Martínez Delgado centra-se em uma máquina de exercícios com o trabalho dos metais e plásticos resistentes usando a eletroestimulação, para que possa ser ajustada de acordo com o tamanho eo peso de quem o utiliza.

Até agora, se formou na Universidad Autónoma de Ciudad Juarez tem pesquisado anatomia, fisiologia, biomecânica e antropometria das pessoas com deficiência. “Eu estou no esboço para atingir os custos e ter um protótipo. Estamos à procura de apoio, porque é um dispositivo que em si vai ser caro porque envolve eletroestimulação “, acrescentou.

Enquanto isso, o estudante Patricia Gonzalez Landeta tem como objetivo desenvolver uma metodologia de projeto focada em pessoas com deficiência intelectual. Landeta Gonzalez disse que “qualquer pessoa tem o direito de estar em qualquer espaço público, a partir de uma mesa e cadeira para usar um diretório eletrônico”. Ele acrescentou: “Queremos avaliar a acessibilidade de todos os bens e minha idéia é que a partir deste pode ser usado como uma metodologia de projeto.” Portanto, ela fez excursões de vários espaços públicos na companhia de pessoas com deficiência visual, auditiva e motora para que, com sua ajuda, podemos identificar os princípios e barreiras físicas para fazer propostas para as corrigir.

Enquanto isso, Ana Arredondo Betancourt explora os espaços de propostas de design e objetos com os quais interagem idosos em suas vidas diárias. O aluno leva em conta as experiências de países como Alemanha, Japão e Uruguai, já está trabalhando em estratégias para o ativo e saudável vistos de geriatria, sociologia, psicologia e antropologia envelhecimento. “Minha proposta é fazer um todo fazer uma análise abrangente e observação participante como um desenhador onde eu me coloco no lugar dos idosos em situações na vida cotidiana através de um terno de envelhecimento (envelhecimento traje)”, disse ele.

Todos os alunos participam do Seminário de Intercâmbio Acadêmico sobre Deficiência organizado pelo Programa de Direitos Humanos da Universidade da UNAM, que coordena e realiza pesquisas e ensino. Além disso, este seminário é responsável pela difusão da cultura e extensão universitária sobre questões cruciais de direitos humanos, com foco em questões de segurança pública e justiça criminal.

De acordo com o National Household Renda e Pesquisa de Orçamentos (ENIGH) de 2012, no México há cerca de sete milhões 751 mil 677 pessoas com deficiência e população maior, 31 de cada 100 adultos maiors.

Informações Fonte: http://imparcialoaxaca.mx/ciencia-y-tecnologia/5Np/elaboran-en-la-unam-equipos-innovadores-para-discapacitados

Universidade de Lisboa é para todos

FLYERVERDE (1)

A Universidade de Lisboa convida a visitar a Mostra A UNIVERSIDADE DE LISBOA É PARA TODOS Exposição Fotográfica, Atividades e Desafios, organizada pela Rede de Estudantes com Necessidades Educativas Especiais da Universidade de Lisboa (Rede NEE-ULisboa), que decorrerá de 3 a 9 de dezembro, em especial para asessão inaugural que terá lugar no dia 3 de dezembro, às 10h30, no átrio da Reitoria.

No contexto da reactivação da Rede de Necessidades Especiais, (Rede NEE-Ulisboa) com representatividade das actuais 18 Escolas, dos serviços de Ação Social e do Estádio Universitário de Lisboa, afirma-se oportuna a troca de experiências visando a melhoria das estratégias de atuação, enquadradas nas boas práticas.

Com esta iniciativa que integra o lançamento do novo logotipo da Rede NEE-ULisboa, a divulgação dos apoios existentes nas escolas da Universidade, exposição fotográfica, filmes e atividades desafiantes que podem ser experienciadas pelos participantes, pretende-se apelar à sensibilidade de todos para esta problemática numa procura de identificação de contributos para aumentar a qualidade de vida académica na Universidade de Lisboa.

Fuente de informaçao: http://www.ulisboa.pt/

A UJAT Tabasco participa no workshop “Deficiência: um desafio com consciência humana”

alt="tabasco"

Para consolidar o projeto de atenção integral às pessoas com síndrome de Down e com deficiência intelectual, será realizado o workshop “Deficiência: um desafio com consciência humana e esforço partilhado” promovido pelo DIF Tabasco em coordenação com a Consultoria Frederick Soler, que dirige o Psic. Alicia Manzanilla Fojaco e a Universidad Juárez Autónoma de Tabasco (UJAT).

Ao reconhecer o interesse da Presidente do sistema DIF de Tabasco, Martha Lilia López Aguilera, por dar atenção integral às pessoas com deficiência, a Psic. Alicia Manzanilla Fojaco convidou todas as pessoas que tenham interesse em apoiar o desenvolvimento das pessoas com síndrome de Down e deficiência intelectual, sejam profissionais, pais, acompanhantes ou responsáveis que participem neste workshop, que será composto por 4 temas desenvolvidos especialmente para a atenção a este sector da população. Entre eles: “Leitura e escrita”, “Ensino da matemática”, “sexualidade e competências sociais” e “integração sensorial e oficina de competências académicas”, que têm como principal objetivo dar um acompanhamento no desenvolvimento intelectual e social das pessoas com alterações no cromossoma 21.

Por outro lado, Elena Manzanilla Fojaco, Diretora do departamento de Saúde e Bem-estar de Frederick Soler, comentou que é uma grande conquista que este workshop se realize no estado de Tabasco, o qual já se realizou noutros Estados da República com resultados muito animadores, salientando que a questão da leitura e da escrita é um curso prático para que todas as pessoas envolvidas na educação de pessoas com síndrome de Down e deficiência intelectual possam aceder à alfabetização e com isto quebrar o tabu de que estas pessoas são incapazes de aceder a estes níveis de conhecimento. O método usado é trazido de Espanha e está comprovado que é uma maneira fácil e prática para que este sector da população possa aprender a ler e a escrever.

Da mesma forma, afirmou que o tema “Ensino da matemática” confirma que com métodos em concordância com as características próprias destas pessoas pode ser possível que acedam ao conhecimento e à prática das operações básicas e com algum grau de complexidade, que lhes permita interagir de forma independente na vida quotidiana.

O curso está programado para cem pessoas e por gestão da Professora Martha Lilia López Aguilera, cada tema terá um custo de US $750, desde que eles assistam aos quatro, ou seja, ao workshop completo; e mil pesos cada tema de uma forma unitária. Note-se que o custo desses cursos em todo o país é superior os 2500 pesos e será ministrado nas seguintes datas:

Leituta e escrita: 14 e 15 de agosto.

Ensino da matemática: 11 e 12 de setembro.

Sexualidade e competências sociais: 13 e 14 de novembro.

Oficina de Competências Académicas e de Integração sensorial: 11 e 12 de dezembro.

Para se inscrever Clique Aqui.

UdeG oferece bolsas de estudo para alunos com deficiência

alt="alunos"

Os alunos com deficiência da Universidad de Guadalajara (UdeG) poderão aceder a estímulos económicos a partir deste ano escolar, segundo informou o gabinete de comunicação da instituição.

Será através do Programa de Bolsas Especiais de Estímulo Económico para Estudantes, que os alunos com alguma deficiência visual, motora ou de fala, têm a possibilidade de adquirir uma bolsa de estudos que incentive o seu desempenho académico. Como forma de promover a sua integração em atividades extracurriculares, a UdeG manifesta que estudantes de qualquer nível académico podem solicitar o apoio através do sítio web www.universidadincluyente.udg.mx.

As bolsas para alunos com deficiência terão uma duração de cinco meses a partir de setembro e consistem em 1500 pesos mensais. Entre os requisitos incluem-se ser aluno regular da instituição e ter um certificado oficial que determine o tipo de deficiência. Os resultados serão divulgados segunda-feira, 7 de setembro, no jornal oficial da UdeG. Cerca de 508 alunos com deficiência estudam da UdeG.

Fonte informação: http://www.unionjalisco.mx/articulo/2015/08/23/educacion/guadalajara/udeg-ofrece-becas-para-alumnos-con-discapacidad

Primeiro encontro de Dança e Integração Latino-americana

alt="dança"

O Primeiro Encontro de Dança e Integração Latino-americana, que contará com a participação de companhias da Argentina, Colômbia, Venezuela, Uruguai e Estados Unidos, integradas por pessoas com e sem deficiência, vai realizar-se entre 21 e 26 de setembro em diferentes locais: Centro Cultural Kirchner, o Espaço da Memória e DD. HH. (ex ESMA) e a Casa Central da Cultura Popular em Buenos Aires.

Esto evento de dança e integração é organizado pela Asociación Civil Mundo Integrado con Amor (MICA) e é apoiado pela Comissão Nacional Assessora para a Integração das Pessoas com Deficiência (Conadis), pelo Ministério da Cultura da Nação, pela Rede Interuniversitária Latino-americana e do Caribe sobre Deficiência e Direitos Humanos, e pela Universidad Nacional del Comahue.

A companhia Argentina Dança sem fronteiras, revelação no último Mundial de Tango da Cidade, será a anfitriã e receberá a ConCuerpos, da Colômbia; a AM Habilidades Mixtas, da Venezuela; a Victoria Pin, Marina Rebollo e Fabiana Cairolli, do Uruguai; Stephanie Bastos e Leymis Bolaños Wilmott,dos EUA, Grupo Alma e Danzabismal, de Buenos Aires; Pulsiones, da Bahía Blanca e Alas de Colibrí-Crearte, de Bariloche, entre outras companhias.

“Foi a primeira vez que um membro do par de dança se apresentou numa cadeira de rodas num evento semelhante e foi emocionante para o público e para o júri, que não sabia muito bem como avaliar o desempenho”, lembra Mariana Chilluti, diretora do encontro e da companhia anfitriã.

No âmbito do encontro, com entrada gratuita, vão realizar-se oficinas de dança, círculos de reflexão, mesas de debate, intercâmbio entre diretores, performances, exposições de fotografias e projeções de vídeo dança. Além disso, o evento pretende também gerar uma abordagem, construir uma ponte, entre os convidados, aqueles que têm uma deficiência e aqueles que não a têm. Para atingir este objetivo o encontro contará com um acompanhamento interdisciplinar de sociólogos, antropólogos e psicólogos, entre outros profissionais.

O festival de dança e integração, com poucos precedentes no mundo, terá réplica nos Estados Unidos em maio do próximo ano.

I Congresso Ibero-americano sobre a Deficiência Intelectual

alt="Congresso Ibero-americano"

O I Congresso Ibero-americano sobre a Deficiência Intelectual realiza-se de 25 a 27 novembro em Oaxaca (México) e tem um objetivo muito claro: promover os direitos humanos das pessoas com deficiência intelectual. Para atingir este objetivo, serão desenvolvidas uma série de ideias, tais como a identificação de chaves de trabalho que favoreçam a qualidade de vida e inclusão social; a reflexão sobre o envelhecimento das pessoas com deficiência e os programas que garantem uma velhice satisfatória, a análise das suas causas, que favorecem ou dificultam a inclusão escolar; e conhecer estratégias inovadoras nesta área, o conhecimento de experiências bem-sucedidas de inclusão laboral das pessoas com deficiência e o desenho de programas que as promovam e a reflexão sobre o papel das famílias como agente chave de inclusão e de desenvolvimento das pessoas com deficiência.

O Congresso destina-se a profissionais, estudantes e familiares de pessoas com deficiência intelectual e pessoas interessadas neste campo.

Este evento contará com inúmeras atividades. Salientamos as palestras que serão desenvolvidas por personalidades que se destacam nesta matéria como Miguel Angel Verdugo, que vai apresentar “O problema social da deficiência intelectual e os desafios para indivíduos, famílias e escola” ou Gonzalo Berzosa que vai tratar um tema tão complexo como “O envelhecimento das pessoas com deficiência intelectual”. Outras atividades a realizar são os workshops que vão abordar ideias tão interessantes como o desafio profissional que as pessoas com deficiência intelectual enfrentam; programas de intervenção com famílias: informação, formação e associação ou modelos de alojamento alternativos ao lar familiar.

Para finalizar, foi organizado um simpósio com a participação espanhola, mexicana e chilena, intitulado: “O futuro das pessoas com deficiência intelectual na América Latina: desafios e expectativas”.

Mais informação: http://congreso-iberoamericano-discapacidad.aceptamecomosoy.org/

A UNNE será sede das Sessões Nacionais Universidades sobre a deficiência em 2016

alt="UNNE"

Assim resolveram os participantes da Reunião da Comissão Interuniversitária Deficiência e Direitos Humanos do CIN que se reuniram na Universidade Nacional do Litoral nos passados dias 10 e 11 de setembro. A sede, a UNNE, foi decidida por consenso dos representantes acreditados de entre as 6 candidaturas apresentadas pelas universidades de Cuyo, San Juan, La Rioja, UADER, Salta e a UNNE localizada na Argentina.

A Universidade Nacional Nordeste representada pelo Secretário-geral para Assuntos Sociais, Dr. Jorge Saucedo e o coordenador do Projeto “UNNE Inclusiva” e Diretor de Desenho Universal Nea, arquiteto Julio Putallaz participou dias atrás da terceira Reunião da Comissão Inter-Universitário Deficiência – CID – e Direitos Humanos – DDHH – do CIN. A abertura esteve a cargo do reitor da UNL, doutor Albor Cantard, que foi acompanhado pela Secretária de Estado do “Bem estar” T.O. Katya Zuska e a coordenadora da CID e DDHH, a Lic. Marcela Mendez.

Com uma agenda intensiva foram abordados documentos descritivos de práticas e estratégias sobre a questão da inclusão de pessoas surdas e a acessibilidade a bibliotecas e a outros materiais de estudo; o relatório descritivo de projetos da acessibilidade académica da Convocatória PODés da SPU, os esforços realizados junto  do Ministério da Educação e a Comissão Consultiva Nacional Assessora para a integração das Pessoas com Deficiência – CONADIS e a definição da sede das Jornadas 2016. A Universidade anfitriã apresentou o seu Projeto de Biblioteca Digital e uma exibição de basquete de uma equipa de alunos cegos num campo indoor acessível.

Os representantes da UNNE defenderam a proposta fundamentando-a nas forças institucionais da UNNE e apresentou os progressos feitos em termos de infraestruturas acessíveis, o Projeto de Fortalecimento das capacidades institucionais para os cuidados a Pessoas com Deficiência aprovado na Convocatória de Acessibilidade Académica (PODés-SPU) e o Programa Integral de inclusão, recentemente criado pelo Honorífico Conselho Superior desta Universidade.

Fonte : http://www.diariochaco.com/noticia/la-unne-sera-sede-de-las-jornadas-nacionales-universitarias-de-discapacidad-en-el-2016

 

I Congresso Ibero-americano sobre Cooperação, Investigação e Deficiência

"Congresso"

O I Congresso Ibero-americano sobre Cooperação, Investigação e Deficiência, que será realizado em Badajoz, nos dias 24 a 25 de setembro de 2015, no edifício de Institutos Universitários de Investigação em Badajoz (Espanha) é organizado no âmbito do projeto “Promoção e Desenvolvimento do Instituto Ibero-americano de Investigação e apoio à deficiência da Extremadura” desenvolvido pela Universidade de Extremadura e o Instituto Ibero-americano de Investigação e Apoio à Deficiência.

O objetivo deste projeto é constituir um Fórum Ibero-americano no qual se possa partilhar experiências e conhecimentos nas áreas de cooperação, investigação e deficiência. Por esta razão, se organiza este Congresso, que pretende atingir um ponto de encontro de diferentes agentes e especialistas ibero-americanos, e que significa o início de um fórum permanente de trabalho e cooperação entre os diversos países Ibero-americanos.

O primeiro dia do congresso começa com uma mesa-redonda que tem como título “Farmacologia, genética e deficiência”, no qual participam Carlos Medina (Universidad Autónoma de Nuevo León), Jesús Florez (Universidade de Cantábria e presidente da Fundação Ibero-americana Down 21), entre outros. Depois de uma pausa, terá início uma segunda mesa-redonda intitulada “Análise das políticas latino-americanas sobre deficiência, investigação e cooperação” e na qual irão expor, entre outros, Juan Perera (Universidade de Ilhas Baleares), María Fátima Minetto (Federal Universidade do Paraná, Brasil). A sessão da tarde terá início com um painel de especialistas, intitulado “Qualidade sócio-sanitária e deficiência” e na qual participam diferentes responsáveis de entidades espanholas e mexicanas, relacionadas com o sector de saúde e da deficiência.

No segundo dia do congresso vão realizar-se sessões unicamente no horário da manhã. Uma delas intitula-se “Estudos de Direito Comparado à luz da Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência” e participaram professores e personalidades da Universidade Nacional de Assunção e a Universidade da Extremadura. Para terminar , vai realizar-se um painel de especialistas ” Terceiro Setor Social da deficiência na América Latina: desafios para a sua estruturação”.

Mais informações e inscrições: http://institutoiberoamericanodi.com/programa/

Bolsas para promover a capacidade artística das pessoas com deficiência

alt="capacidade artística"

O Instituto Municipal de Arte e Cultura de Puebla (México), através a Subdireção da Cultura para a Não-violência apresentou a 1ª Edição das Bolsas Diverso com o objetivo de beneficiar as pessoas com deficiência através de projetos culturais e artísticos.

Nesta convocatória poderão participar fundações, associações, coletivos, associações civis e cooperativas com projetos inéditos que fomentem a capacidade artística das pessoas com deficiência. O objetivo destas Bolsas Diverso é facilitar a inclusão na vida social e promover o trabalho e a formação dos artistas com deficiência em todas as disciplinas artísticas.

O prazo para apresentação de candidaturas é de 4 a 30 de setembro de 2015 através da página: www.imacp.gob.mx. O júri irá selecionar cinco finalistas dos quais dois irão receber a bolsa de estudos. Esta será a contribuição económica necessária para desenvolver a proposta do projeto em quatro meses.

Se vamos a Espanha encontramos outra chamada para bolsas, muito semelhante a esta para pessoas com deficiência. Estamos a falar das Bolsas Hefesto convocadas pela Fundação Universia e pelo Instituto Nacional de Artes Cénicas e Música, cujo objetivo é promover a formação em artes cénicas e musicais, gestão cultural e formação técnica em artes do espetáculo. Outra das possibilidades que contempla estas ajudas é o fomento da mobilidade internacional com os mesmos fins formativos.

Este programa foi criado com o objetivo de promover a integração sócio profissional de pessoas com deficiência, ajudando a reforçar o princípio da igualdade de oportunidades. Na edição anterior, as Bolsas Hefesto ajudaram seis alunos bolseiros de diferentes partes de Espanha e um estudante renovou a mobilidade internacional na Anglia Ruskin University de Cambridge.

As Bolsas Hefesto Fundação Universia – INAEM podem ser solicitadas de 27 de julho a 9 de outubro, através do seu site.

UBA terá tradução simultânea para alunos com deficiência visual e auditiva

alt="UBA"

O Conselho Superior da Universidade de Buenos Aires criou um Programa de Acessibilidade Académica, com o objetivo de permitir a acessibilidade de comunicação plena, física e pedagógica para os alunos com deficiência auditiva, visual ou motora.

A proposta pressupõe a implementação de intérpretes em línguas gestuais, o que permitirá a transmissão em tempo real do que é explicado nas aulas, a execução das descrições áudio e legendas no material didático. Além disso, planeia também instalar amplificadores dentro das aulas que permitam uma transmissão do som sem os efeitos adversos da distância ou o ruído de fundo para pessoas que usam aparelhos auditivos ou implantes cocleares.

Susana Underwood, coordenadora do programa, diz que este programa “se apoia na utilização de ferramentas tecnológicas que tornam mais acessível o caminho aos nossos alunos às vezes uma simples mudança de hábito por parte do professor é suficiente para assegurar a correta compreensão do espanhol”. Além disso, “como professora, penso na sensação de fracasso que podemos evitar aos nossos alunos, quando na hora de aceder à leitura e compreensão se deparam com algum tipo de barreira” concluiu a coordenadora, que defendeu a ideia de “incluí-los a todos numa educação universitária de qualidade”.

“A proposta pressupõe a implementação de intérpretes em línguas gestuais, a execução das descrições áudio e legendas no material didático”

2.498 alunos de licenciatura declararam ter alguma deficiência, de acordo com o censos da UBA. Desse grupo, 210 manifestaram ter uma deficiência visual e 356 deficiência auditiva. Embora, de acordo com as declarações de Gustavo Galli, chefe da Secretaria de extensão da UBA e Bem-estar Estudantil, de cuja área depende o programa, “a pergunta sobre a deficiência não era obrigatória, portanto não reflete necessariamente o número de pessoas com deficiência a estudar na UBA. De qualquer forma, esta medida permitiu-nos ter a aproximação”.

Este Programa de Acessibilidade Académica está em consonância com a Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência, sancionada pela ONU em 2006, “o programa visa a eliminação das barreiras que impedem o exercício dos direitos”, concluiu Galli.